Investimentos nos 65 destinos indutores chegam a R$ 1 bilhão

Brasília (29.05) - A disposição de consolidar no país 65 destinos turísticos capazes de induzir o desenvolvimento em suas regiões está sendo traduzida em números pelo Ministério do Turismo. Em seis anos, os municípios indutores receberam investimentos de R$ 1 bilhão para obras de infraestrutura. Entre eles estão as capitais que serão sedes da Copa do Mundo de 2014.

Os empenhos financeiros são relativos ao período de 2003 a 2008 e contemplam as cinco macrorregiões do país. No total foram firmados 656 contratos para a realização de obras nos 65 destinos priorizados pelo Programa de Regionalização do MTur. Todas as capitais são consideradas destinos indutores e cada estado tem, no máximo, cinco municípios selecionados.

Na divisão do bolo, a região Nordeste, que tem o maior número de estados e de destinos indutores, ficou com R$ 597 milhões. A região Norte firmou 122 contratos para atender 13 regiões turísticas com R$ 186 milhões. O terceiro lugar em volume de recursos empenhados foi o Centro-Oeste com R$ 90 milhões, seguido do Sudeste, com R$ 86 milhões, e do Sul, com R$ 56 milhões.

Os recursos destinados à infraestrutura têm destinação certa. Sua aplicação é restrita a obras listadas em portaria do MTur. Algo em torno de 15 itens como a construção de terminais de passageiros em todos os modais; ampliação ou construção de acessos a rodovias, ferrovias, aeroportos e portos; recuperação do patrimônio histórico; revitalização de praças e equipamentos turísticos, construção de museus e escolas de formação para o turismo.

Os investimentos em infraestrutura representam apenas uma parte da ação do MTur nos estados e municípios para fomentar o desenvolvimento do turismo. Como são considerados prioritários, os 65 destinos indutores recebem verba de todos os programas do ministério, seja da qualificação, da promoção e marketing e também do Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur).

Nenhum comentário: